segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Duatlo das Lezírias 2014: E tudo o vento levou...

O vento e a lama...

Em dia de Alerta Vermelho para quase todo o território nacional, os triatletas e duatletas deste país saíram à rua e provaram que o medo é uma cena que não nos assiste!


Desde as 09h, hora de abertura do Parque de Transição, que choveu sem cessar. As rajadas de vento faziam-se sentir desde a madrugada e com tendência a aumentar... Não havia local abrigado onde equipar, onde esperar, onde aquecer, enfim... era água, piso enlameado e vento por todo o lado! O carro serviu de porto de abrigo e foi ficar até quase ao tiro de partida...

E por falar em tiro de partida.. enquanto o pórtico teimava em vergar por cima das nossas cabeças, devido à força do vento e peso da água, o tiro nunca mais saía, e era confrangedor estar ali debaixo de chuva, todos aos saltinhos, a tentar não arrefecer mais ainda.

Lá soou a buzina, e saíu tudo desembestado, ploch ploch ploch, nas poças de água que havia pelo caminho!

Corrida inicial de 6kms, sendo que na ida o vento ajudava; após o retorno, até correr contra o vento era difícil, o que deixava adivinhar um segmento de BTT bastante sofrido. E assim foi!

O BTT foi massacrante, num percurso que é suposto ser rápido e plano, mas o vento, nos cerca de 8kms iniciais, foi totalmente contra, e a sensação era de pedalar em subida, tal a força que era preciso aplicar nos crenques!

A primeira viragem à direita permitia aliviar um pouco, ficando o vento lateral. Nova viragem à direita e aí era prego a fundo com o vento a empurrar, a passar de velocidades da ordem dos 18/20 km/h, para cerca de 40 km/h!

Isto até se chegar ao sector da lama, adjacente ao rio... que mar de lama que ali estava! Incrível, raramente vi tanta lama junta na minha vida de betetista...

Mas mais uma vez, a experiência, a roda 29 e os meus bem amados pneus, fizeram aquele troço parecer até divertido.. isto da 1ª vez; na 2ª volta já não achei graça nenhuma... :-P

Percorridos os 30kms de BTT, ultrapassada muita gente, tapando eu o vento a muitos "meninos", chega o último segmento de 3kms de corrida.. entretanto parara de chover, mas nem por isso o vento amainou. Foi gerir até cortar a meta...

Escusado será dizer que não havia 1mm do meu equipamento ou da minha bicicleta que não estivesse coberto de lama! Eu incluída, bem como todos os outros participantes, o que deu um belo espectáculo fotográfico em geral!

Foto de Clarisse Henriques

O melhor banho foi, para uns, uma ida ao rio para se lavarem; para outros, uma ida ao "elefante azul" das bicicletas, ali improvisado por 1 mangueira para os atletas se servirem. Eu servi-me da cabeça aos pés, e por incrível que pareça a água parecia saída do esquentador, estava quente, face à temperatura do corpo!

Assim teve lugar a edição deste ano de um dos Duatlos de início de época mais emblemáticos, tendo mais uma vez o meu Garmin Olímpico de Oeiras brilhado, tanto em masculinos como em femininos, individual e colectivamente. Somos os maiores! :-)

2 comentários:

  1. É para quem gosta, para quem sente prazer.
    Parabéns pela bravura! ;)

    ResponderEliminar
  2. Parabéns! O texto traduz alguma da dificuldade :)

    ResponderEliminar